Tentei, mas é impossível.

    Não há como ser complacente com Bolsonaro e essa turma de Napoleões de Hospício que está ao seu lado. Além de Bolsonaro tentar a todo momento se contrapor a eficácia das vacinas, agora vem o ministro da saúde, que deveria adotar outra linha, rumar na mesma direção que expõe o Brasil ao ridículo, ao dizer essa preciosidade da imbecilidade: “Melhor perder a vida que a liberdade”. Esse homem ignora que a liberdade está na educação que liberta da ignorância; está na saúde, que liberta das limitações físicas e psicológicas. Esse é o assunto de hoje. Compartilhe conosco sua opinião através do Whatsapp (16) 99751 3001.